Reinaldo Arneiro, fundador da empresa Ourivesaria Arneiro, nasceu em 1925. Hoje com 90 anos já conta com a segunda e a terceira geração para seguir o seu legado.

Deixou o local de Cantanhede, onde tinha nascido, com 19 anos rumo a uma vida diferente.

Pegou na sua bicicleta, na mala verde e em 200gr de ouro que seu pai lhe tinha dado para começar a sua própria vida profissional e seguiu estrada fora, passando por todas as aldeias da Região Centro com um apito para avisar a sua chegada de que tinha ouro para vender.

Passando pela Malveira, São João das Lampas, Pêro Pinheiro, entre muitas outras localidades, Reinaldo Arneiro tornou-se célebre, fruto de longas décadas de percursos e trilhos percorridos numa interação permanente entre os sonhos e a realidade económica das milhares de pessoas com quem se cruzava diariamente. A confiança e a honra marcaram sempre a diferença.

A força comercial era diversificada e passava pela venda em mercados, praças e feiras tradicionais, conciliada com a venda personalizada porta a porta.

Fruto de uma necessidade crescente de diversificação e de criação de um espaço de referência, a Ourivesaria Arneiro fixou-se finalmente no ambiente calmo e sublime da Vila de Sintra, em plena Paisagem Cultural classificada como Património Mundial pela UNESCO e local de passagem obrigatório de turistas e visitantes que buscam o contacto com história e com beleza paisagística do local.

O primeiro grande elo de ligação entre o passado e o presente foi a passagem de testemunho entre Reinaldo Arneiro e Joaquim Simplício, seu genro.

Formado em Engenharia, Joaquim Simplício foi durante décadas o principal elemento de apoio na modernização e na diversificação do portfólio de soluções. Inicialmente trabalhava nas vendas que eram realizadas nas feiras e posteriormente passou a ser presença efetiva na loja onde se mantém desde um período temporal de 38 anos.

Uma das principais preocupações deste seguidor foi precisamente o equilíbrio entre a tradição e as necessárias adaptações em função da evolução global dos mercados e dos clientes.

Novas tipologias de clientes implicam também uma adaptação às novas tecnologias e aos circuitos de comunicação que dominam os fluxos de contato entre as pessoas na atualidade.
Fruto deste processo de modernização surge a energia associada à terceira geração, sempre numa lógica de tradição e cooperação familiar.

O conceito “Arneiro” e “Tradição Familiar Portuguesa” são a base essencial deste negócio, contudo as características da modernidade que vivemos obrigam a novas práticas de comunicação e de interação com diferentes públicos. Dar relevo ao tradicional e artesanal através da tecnologia, do digital e das redes sociais constituem-se como principais desafios desta nova geração. Inovar mantendo tradição é nossa a fonte de inspiração diária.

 

A Ourivesaria Arneiro é hoje uma montra de sonhos de experiências únicas, conciliando produtos que marcam a tradição com outras solução que apresentam conceitos e tipologias de design na senda da modernidade.

A atualização do nosso conceito implicou um novo foco no posicionamento “Feel the Tradition” e na especialização específica na comercialização da Filigrana, a melhor herança da ourivesaria tradicional portuguesa, conciliando esta área com a oferta de uma seleção de grandes marcas de Joalharia.

Visitar a História da Ourivesaria Arneiro é acima de tudo experienciar a cultura, os rituais e a tradição familiar de um conceito único criado em 1969 e edificado na nobreza dos principais valores que contribuem diariamente para o nosso sucesso: confiança, honestidade, atendimento personalizado e  produtos de qualidade superior.